Choveu 41,7 mm na terça-feira (21), enquanto a previsão para todo o mês era de 38 mm, diz Aesa.

Chuvas maiores do que o esperado para janeiro deixam 8 famílias desalojadas, em Campina Grande João Pedro Maciel/Arquivo pessoal Campina Grande registrou em 24 horas um volume de chuvas maior que o esperado para todo o mês de janeiro, e oito famílias ficaram desalojadas, segundo informações divulgadas pela Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa).

Conforme os dados monitorados pelo órgão, choveu 41,7 mm na terça-feira (21), enquanto a previsão para todo o mês era de 38 mm. Chuvas provocam alagamentos, desabamentos e acidentes Inmet renova alerta de chuvas para CG e mais 163 cidades Família tem casa inundada por água e lama e perde móveis O coordenador da Defesa Civil do município, Ruiter Sansão, explicou que não há danos nas estruturas e nem perigo de desabamento nas residências em que as pessoas ficaram desalojadas, nos bairros Araxá, Liberdade e Universitário.

Ainda de acordo com ele, as famílias já podem retornar aos lares.

As chuvas fortes que caíram na cidade duraram cerca de duas horas e provocaram alagamentos, desabamentos e acidentes de trânsito. A cidade e outros 163 municípios da Paraíba continuam sob alerta de perigo potencial de chuvas intensas, conforme comunicado pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) nesta quarta-feira.

O alerta segue até as 10h da quinta-feira (23).

Deve chover entre 20 e 30 milímetros por hora, ou até 50 milímetros por dia nas cidades listadas.

Os ventos devem ser intensos, de 40 a 60 quilômetros por hora.

Há baixo risco de corte de energia elétrica, de queda de galhos de árvores, de alagamentos e descargas elétricas.

Chuvas provocam alagamentos, desabamentos e acidentes de trânsito, em Campina Grande Artur Lira/TV Paraíba Bairros com maiores volumes de chuvas Conforme os índices registrados em estações de monitoramento distribuídas pelo município, a informação parcial é de que os bairros com maiores quantidade de chuvas foram Catolé, com 59,2 mm; Jardim Paulistano, com 52,2 mm; Cruzeiro, com 39,2 mm; Alto Branco, com 32,8 mm; e Bodocongó, com 9 mm. Ainda segundo a Aesa, as chuvas registradas em Campina Grande nesta terça-feira são resultado da combinação das altas temperaturas com a umidade alta do ar, que faz com que ocorram chuvas intensas, acompanhadas de relâmpagos e trovões. Família tem casa inundada por água e lama Uma família teve a casa inundada por água e lama e perdeu a maioria dos móveis após fortes chuvas na tarde desta terça-feira (21), em Campina Grande.

A residência está localizada no bairro Universitário.

Além da grande quantidade de água, o que agravou a situação neste caso foi uma construção que fica atrás da residência e toda a água que passou pela obra foi direcionada para a casa com muita terra. A lama atingiu carro, moto, diversos móveis, eletrodomésticos, notebook, além de brinquedos e roupas, causando prejuízos à família.

Durante as chuvas, os familiares ainda tentaram colocar a moto em cima de uma cadeira para tentar proteger o motor, mas o nível da água estava muito elevado.

A geladeira também foi colocada em cima de outro móvel na intenção de protegê-la, mas foi atingida. Uma grossa camada de lama se alojou em cima do piso de residência de Campina Grande Reprodução/TV Paraíba Chuvas provocam alagamentos, desabamentos e acidentes Chuvas fortes que duraram cerca de duas horas provocaram alagamentos, desabamentos e acidentes de trânsito, em Campina Grande, na tarde da terça-feira (21).

Segundo informações do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, não houve registros de feridos. Muros desabaram, árvores caíram, ruas foram alagadas e veículos colidiram em vias do município.

Segundo informações da assessoria de comunicação do Hospital de Emergência e Trauma da cidade, pelo menos cinco pacientes deram entrada na unidade hospitalar, vítimas de picadas de escorpiões, em aproximadamente três horas. Já o Batalhão de Polícia Militar de Trânsito da cidade, informou que foi notificado sobre colisões entre veículos nas ruas de Campina Grande, mas não foi necessário o deslocamento de equipes até os locais dos acidentes porque não existiam vítimas fatais. Moradores relatam prejuízos com alagamentos após chuvas, em Campina Grande