Trecho de 32 km, que liga Magalhães Barata à vila do Mocooca, em Maracanã, está repleto de terra, lama e buracos.

Moradores da Maracanã denunciam as péssimas condições da rodovia PA-430 Moradores que vivem nas comunidades que precisam da rodovia PA-430, nordeste do Pará, reclamam das péssimas condições da via.

O turismo da região está crescendo, mas sofre com a dificuldade de acesso à vila de pescadores do Mocooca, em Maracanã.

O escoamento da agricultura e do pescado também está sendo afetado pela falta de manutenção da rodovia. Quem precisa passar pela PA-430 encontra apenas terra, lama e muitos buracos.

O trecho que mais perigoso são os 32 quilômetros que liga o município de Magalhães Barata com a vila do Mocooca, que corta um campo de mangaba, que faz parte de uma área de desenvolvimento sustentável em Maracanã. A rodovia passou por serviços de conservação no final de ano de 2019, mas voltou a ficar em péssimas condições com a chegada das chuvas, afetando diretamente a economia e o turismo da região.

Pelo Mocooca, os turistas tem acesso à vila de Fortalezinha e outras praias e balneários do litoral paraense. 'É a única via terrestre que dá acesso, de ida e volta, a esse turismo é a PA-430.

Ela vai ser muito importante para o turismo para a nossa região." Edmilson Guimarães, professor. Em nota, a Secretaria de Estado de Transporte do Pará (Setran) informou que a licitação para o asfaltamento completo da PA-430, que vai desde o entroncamento da estrada de Magalhães Barata até a Vila de Mocooca, deve acontecer nos próximos meses.

A Setran esclareceu ainda que realizou serviços de forma emergencial na via.